• Início
  • Mapa do Site
  • Contactos

Munícipe

Inauguração do Pontão sobre a Ribeira da Gouxaria

00IMG 6789 3984x2656


Teve lugar, no passado dia 20 de julho de 2018, sexta-feira, a Inauguração do Pontão sobre a Ribeira da Gouxaria.

 

Estiveram presentes, na inauguração do Pontão sobre a Ribeira da Gouxaria, a Presidente da Câmara Municipal de Alcanena, Fernanda Asseiceira, os Vereadores Maria João Gomez, Luís Pires e Óscar Pires, o Presidente da União das Freguesias de Alcanena e Vila Moreira, António Frazão Silva, o Eng.º Ângelo Gameiro, da empresa CROPE, Engenharia Lda, e o Eng.º Sérgio Gomes, da Casa Gomes.

 

Recorde-se que o Contrato de Adjudicação para execução da empreitada do Pontão sobre a Ribeira da Gouxaria, adjudicada à firma CROPE, Engenharia, Lda., pelo valor de 138.649,45€ (+ IVA à taxa legal em vigor – 6%) foi assinado a 8 de maio de 2018, tendo o auto de consignação sido assinado a 21 de maio.

 

A empreitada incluiu a demolição integral do pontão existente, construção de um pontão novo com alas laterais de proteção aos taludes e ensoleiramento do leito da ribeira, na zona de intervenção.

Caminhos da Água – Bonga

00bongaafter
Dia 19 de julho, na Praça 8 de Maio, em Alcanena

 

No âmbito dos “Caminhos da Água”, uma das vertentes do Projeto Caminhos, um projeto de programação cultural em rede criado pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo em parceria com os treze municípios que a integram, cuja segunda edição decorre, no concelho de Alcanena, de 13 e 22 de julho, a Praça 8 de Maio, em Alcanena, recebeu, no dia 19 de julho, quinta-feira, um espetáculo do artista Bonga.

 

O espetáculo contou com a presença de inúmeras pessoas, numa Praça cheia de público, que acompanhou Bonga neste concerto onde interpretou os seus temas mais conhecidos.

 

Barceló de Carvalho, mais conhecido por Bonga, nasceu a 5 de setembro de 1942, em Kipiri, na província de Bengo, a norte de Luanda, Angola.

 

Em 1966, Bonga veio viver para Portugal, como atleta de alta competição. Portugal vivia na ditadura salazarista e, aproveitando o seu estatuto de atleta recordista, começa a passar mensagens entre conterrâneos que lutam pela independência em Angola. Por ter sido descoberto pela PIDE, vê-se obrigado a fugir de Portugal para a Holanda. Neste país, lança o seu primeiro álbum, em 1972, denominado “Angola 72”, cantando músicas revolucionárias e de amor à pátria. A partir de então, passa a chamar-se Bonga Kuenda, que significa “aquele que vê, aquele que está à frente e em constante movimento”.

 

No decorrer da guerra colonial, Bonga recebe o estatuto de embaixador da música angolana.