• Início
  • Mapa do Site
  • Contactos

Munícipe

Qualidade do Serviço de Resíduos Urbanos – Avaliação da ERSAR 2020

tratamento residuos low

 

No âmbito da regulação da qualidade de serviço, que tem como objetivo melhorar a eficácia e a eficiência da prestação de serviços de águas e resíduos, a ERSAR – Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos implementou um sistema de avaliação da qualidade do serviço prestado pelas entidades gestoras, com recurso a um conjunto de 14 indicadores para cada um dos serviços de abastecimento de água, de saneamento de águas residuais e de gestão de resíduos urbanos.

 

Os indicadores que compõem o sistema de avaliação da qualidade do serviço prestado pelas entidades gestoras encontram-se distribuídos por três grupos:
- Adequação da interface com os utilizadores - pretende avaliar se o serviço prestado aos utilizadores foi adequado, nomeadamente ao nível da maior ou menor acessibilidade física e económica que têm ao serviço e da qualidade com que o mesmo lhes é fornecido;
- Sustentabilidade da gestão do serviço - pretende avaliar se estão a ser tomadas as medidas básicas para que a prestação do serviço seja sustentável;
- Sustentabilidade ambiental - pretende avaliar o nível de salvaguarda dos aspetos ambientais associados às atividades da entidade gestora.

 

A cada indicador é atribuída uma classificação da qualidade de serviço, que varia entre “BOA”, “MEDIANA” e “INSATISFATÓRIA”.

 

No que respeita à avaliação da qualidade do serviço de resíduos urbanos do ano de 2020, no concelho de Alcanena, nos indicadores relativos à relação com o cliente/utilizador, a Câmara Municipal de Alcanena, enquanto entidade gestora do serviço de resíduos urbanos, obteve a avaliação máxima – “Boa” – nos parâmetros relativos à acessibilidade física do serviço, à acessibilidade do serviço de recolha seletiva e à acessibilidade económica do serviço. Já no que respeita ao parâmetro relativo à lavagem de contentores a avaliação foi “Mediana”.

 

Relativamente aos indicadores referentes à sustentabilidade da gestão do serviço, foi atribuída a avaliação máxima – “Boa” – aos parâmetros relativos à renovação do parque de viaturas, à rentabilização do parque de viaturas e à adequação dos recursos humanos.

 

Os parâmetros de cobertura de gastos e de reciclagem de resíduos de recolha seletiva obtiveram avaliação “Insatisfatória”. No que respeita a estas duas avaliações, refira-se que, quanto à cobertura de gastos, a ERSAR recomenda que os custos do serviço devem ser assumidos pelo consumidor, por via tarifária, devendo os tarifários evoluir no sentido de promover a cobertura total dos gastos. No entanto, o Município optou por suportar estes custos, designadamente em período de pandemia, de forma a não sobrecarregar o consumidor. Já no que concerne à reciclagem de resíduos de recolha seletiva, os indicadores são reportados pela RSTJ – Gestão e Tratamento de Resíduos, Empresa Intermunicipal, SA, entidade responsável por este serviço, e não pela Câmara Municipal, sendo que estão a ser implementadas algumas ações de incentivo à reciclagem junto da população, nomeadamente com o projeto Ecoponto à Porta.

 

Por fim, nos indicadores respeitantes à sustentabilidade ambiental, a Câmara Municipal de Alcanena obteve um bom desempenho nos dois parâmetros avaliados, designadamente na utilização de recursos energéticos e na emissão de gases com efeito de estufa da recolha indiferenciada.

 

Na ficha de avaliação, a ERSAR recomenda à entidade gestora a promoção de esforço de melhoria, particularmente dos indicadores com avaliação “Insatisfatória”, e a adoção de procedimentos para aumentar a fiabilidade da informação reportada.

 

Os dados referentes à atividade de 2020 resultam da avaliação da ERSAR e constam do Relatório Anual dos Serviços de Águas e Resíduos em Portugal (RASARP), que integra a análise comparativa de todas as entidades gestoras do país.

 

Consulte, em anexo, a ficha de avaliação da ERSAR.

 

Attachments:
Download this file (CM Alcanena2020RUb_final (1).pdf)CM Alcanena2020RUb_final (1).pdf[ ]57 kB

CARSOférias Fora de Horas

carsoferias fora de horas 22

 

De 1 a 4 de fevereiro de 2022, no Centro Ciência Viva do Alviela
Inscrições abertas

 

O Centro Ciência Viva do Alviela – Carsoscópio promove, entre os dias 1 e 4 de fevereiro de 2022, as CARSOférias Fora de Horas, iniciativa destinada a crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 11 anos.

 

Se tens interrupção escolar em fevereiro, nada de ficar por casa: as Carsoférias chegaram, com um programa bem catita. Ora repara:

A semana começa de forma perfumada, de volta das plantas aromáticas e confeção de sabonetes com um cheirinho delicioso! Trocam-se as provetas e globets por tachos e panelas para preparar um lanche com milhões de anos e, entre uma trinca e outra, descobre-se o ciclo das rochas. De binóculos ao pescoço e de casaco quentinho, parte-se à descoberta das aves, na praia fluvial. Sabias que as aves têm menos disponibilidade de alimento durante o inverno? Para as ajudar, constroem-se uns originais comedouros. Nas Carsoférias, há tempo para conhecer a flora do PR1 e, de volta ao laboratório, descobre-se por que razão as folhas mudam de cor. Mergulha-se na tecnologia e, de repente, passa-se a ser realizador de cinema e, no segundo take, é hora de programar com Cody e Rody e partir à descoberta do BATista, o morcego cientista. 3, 2, 1, ação!

 

Nesta interrupção letiva, não há desculpas para ficares em casa! Quem se junta à tribo?

 

Inscrições através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou do telefone 249881805.

 

Idade: Dos 6 aos 11 anos

 

Número Máximo de participantes: 20 crianças

 

Preços:
1 dia - 7,00€
4 dias – 24,00€

 

Desconto de 10% para portadores do cartão Circuitos Ciência Viva, para filhos de colaboradores de empresas sediadas no concelho de Alcanena ou a partir da inscrição do segundo filho.

 

Os preços incluem seguro, materiais e acompanhamento por monitores do Centro Ciência Viva do Alviela.

 

Recomendações:
- Trazer roupa confortável e calçado adequado para atividades no exterior;
- Crianças a partir dos 10 anos devem usar máscara.