• Início
  • Mapa do Site
  • Contactos

Munícipe

artigo de cultura

teste cultura e desporto...

 

editado com user cultura

 

editado again

Biblioteca

 

BMA

Bilioteca Municipal Dr. Carlos Nunes Ferreira

 

Historial

A Biblioteca Municipal de Alcanena resulta da adaptação de um antigo celeiro/palheiro da Casa Agrícola, integrado num conjunto de barracões pertencentes ao Sr. Joaquim Carlos Reis e Silva, do ano de 1903, de acordo com a inscrição que ainda hoje se pode ler na fachada do actual edifício.

 

A construção contava ainda com um poço e uma eira, onde se malhava o trigo e outros cereais. Do poço e demais pequenas edificações em volta, resta a recordação. Assim, apenas foi recuperado o corpo principal da estrutura existente.

 

Deste modo, a recuperação consistiu em ligar os dois corpos do celeiro com uma galeria superior, onde outrora existira um pátio interior.

 

Quanto aos materiais utilizados, a preferência foi para o ferro, harmonizado com madeira de faia e vidro. Desta escolha, resultou, não só uma obra plena de luz, que entra sem cerimónia pelas amplas janelas, mas também um interessante contraste entre a transparência e o peso real das portas, que, afinal desvendam espaços.

 

Relativamente às opções arquitectónicas dos interiores, salienta-se um pequeno mas agradável espaço completado com um balcão, da extremidade do qual se desenrola um ampla escadaria em madeira, estabelecendo a ligação entre o piso térreo e o superior.

 

No que diz respeito à posse do imóvel, após a morte do proprierário, supra mencionado, passou por herança, para as suas filhas Maria Cândida e Maria de Lourdes. Esta viria a ligar-se à história da biblioteca, mais uma vez, devido ao matrimónio com o Senhor Doutor Carlos Nunes Ferreira. Deste casal nasceram oito filhos, que, por sua vez herdaram o que é hoje a Biblioteca Municipal de Alcanena. Posteriormente, no ano civil de 1981, a Câmara Municipal tornou-se proprietária da referida construção.

 

O Cônjuge de Maria de Lourdes vem a propósito dado que o seu nome foi adoptado, em jeito de homenagem, pela Biblioteca Municipal. Vejamos porquê:

O médico Carlos Nunes Ferreira, de formação coimbrã, veio a Alcanena para ocupar uma vaga para médico municipal, enquanto aguardava a nomeação para assistente da Universidade de Lisboa. No entanto ligou-se definitavamente à Vila, para onde o acaso o enviou, por laços de casamento e empenhamento nas causas sociais do Concelho.

 

Assim, no exercício da Medicina, introduz técnicas inovadoras e revela grande habilidade em partos; o que faz nascer uma ligação emocional com as gentes do Concelho.

 

Curiosa é a semelhança entre este médico e o personagem criado por Júlio Diniz, o sempre prestável João Semana, quase unindo realidade e ficção.

 

Mas não é só como médico que Nunes Ferreira é recordado como benemérito:

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Curtumes e a Fundação do Entreposto foram por si incetivados e apoiados. Criou ainda a assistência aos Tuberculosos e o Dispensário Materno-Infantil.

 

A sua acção foi igualmente determinante não só na construção do Bairro Operário na Chã, mas também, na criação do Miradouro e, anos mais tarde, na instalação do Ensino Secundário em Alcanena.

Manifesto da UNESCO sobre Bibliotecas Públicas

A liberdade, a prosperidade e o desenvolvimento da sociedade e dos indivíduos são valores humanos fundamentais.

 

Só serão atingidos quando os cidadãos estiverem na posse da informação que lhes permita exercer os seus direitos democráticos a ter um papel activo na sociedade.

 

A participação construtiva e o desenvolvimento da democracia dependem tanto de uma educação satisfatória, como de um acesso livre e sem limites ao conhecimento, ao pensamento, à cultura e à informação.

 

A biblioteca pública, porta de acesso local ao conhecimento, fornece as condições básicas para a aprendizagem contínua, para uma tomada de decisão independente e para o desenvolvimento cultural dos indivíduos e dos grupos sociais.

 

Este manifesto proclama a confiança que a UNESCO deposita na Biblioteca Pública, enquanto força viva para a educação, a cultura e a informação, e como agente essencial para a promoção da paz e do bem-estar espiritual nas mentes dos homens e das mulheres.

 

Assim, a UNESCO encoraja as autoridades nacionais e locais a apoiar activamente e a comprometerem-se no desenvolvimento das bibliotecas públicas.

A Biblioteca Pública

A biblioteca pública é o centro local de informação, tornando prontamente acessíveis aos seus utilizadores o conhecimento e a informação de todos os géneros.

 

Os serviços da Biblioteca pública devem ser oferecidos com base na igualdade de acesso para todos, sem distinção de idade, raça, sexo, religião, nacionalidade, língua ou condição social. Serviços e materiais específicos devem ser postos à disposição dos utilizadores que, por qualquer razão, não possam usar os serviços e os materiais correntes como, por exemplo, minorias linguísticas, pessoas deficientes, hospitalizadas ou reclusas.

Financiamento Legislação e Redes

 

Os serviços da Biblioteca Pública devem ser gratuitos. A Biblioteca Pública é da responsabilidade das autoridades locais e nacionais. Deve ser objecto de uma legislação específica e financiada pelos governos nacionais e locais. Tem de ser uma componente essencial de qualquer estratégia a longo prazo para a cultura, o acesso à informação, a alfabetização e a educação.

 

Para assegurar a coordenação e cooperação das bibliotecas, a legislação e os planos estratégicas devem ainda definir e promover uma rede nacional de bibliotecas, baseada em padrões de serviço previamente acordados.

 

A rede de bibliotecas públicas deve ser concebida tendo em consideração as Bibliotecas Nacionais, Regionais, de investigação e especializadas, assim como as Bibliotecas Escolares e Universitárias.

Funcionamento e Gestão

 

Deve ser formulada uma política clara, definindo objectivos, prioridades e serviços, relacionados com as necessidades da comunidade local. A biblioteca pública deve ser eficazmente organizada e mantidos padrões profissionais de funcionamento.

 

Deve ser assegurada a cooperação com parceiros relevantes, por exemplo, grupos de utilizadores e outros profissionais a nível local, regional, nacional e internacional.

 

Os serviços têm de ser fisicamente acessíveis a todos os membros da comunidade. Tal supõe a existência de edifícios bem situados, boas condições para a leitura e o estudo, assim como o acesso a tecnologia adequada e horários convenientes para os utilizadores. Tal implica, igualmente, serviços destinados àqueles a quem é impossível frequentar a biblioteca.

 

Os serviços da biblioteca devem ser adaptados às diferentes necessidades das comunidades das zonas urbanas e rurais.

 

O bibliotecário é um intermediário activo entre os utilizadores e os recursos disponíveis. A formação profissional contínua do bibliotecário é indispensável para assegurar serviços adequados.

 

Têm de ser levados a cabo programas de formação de potenciais utilizadores de formação de potenciais utilizadores de forma a fazê-los beneficiar de todos os recursos.

Implementação do Manifesto

 

Todos os que, em todo o mundo, a nível nacional e local, têm poder de decisão e a comunidade de bibliotecários em geral, são instados a implementar os princípios expressos neste Manifesto.

 

Todos os grupos etários devem encontrar documentos adequados às suas necessidades. As colecções e serviços devem incluir todos os tipos de suporte e tecnologias modernas apropriados assim como fundos tradicionais. É essencial que sejam de elevada qualidade e adequada às necessidades e condições locais. As colecções devem reflectir as tendências actuais e a evolução da sociedade, bem como a memória da humanidade e o produto da sua imaginação

 

As colecções e os serviços devem ser isentos de qualquer forma de censura ideológica, política ou religiosa e de pressões comerciais.

Missões da Biblioteca Pública

 

As missões chave da biblioteca pública relacionadas com a informação, a alfabetização, a educação e a cultura são as seguintes:

1. Criar e fortalecer os hábitos de leitura nas crianças, desde a primeira infância;

2. Apoiar a educação individual e a autoformação, assim como a educação formal a todos os níveis;

3. Assegurar a cada pessoa os meios para evoluir de forma criativa;

4. Estimular a imaginação e criatividade das crianças e dos jovens;

5. Promover o conhecimento sobre a herança cultural, o apreço pelas artes e pelas realizações e inovações científicas;

6. Possibilitar o acesso a todas as formas de expressão cultural das artes do espectáculo;

7. Fomentar o diálogo inter-cultural e a diversidade cultural;

8. Apoiar a tradição oral.

 

- OPAC: Online Public Acess Catalog
O catálogo do fundo documental da Biblioteca está disponível através da internet e num posto de consulta junto da Receção para consulta e reserva de obras.

 

- Empréstimo domiciliário
O empréstimo domiciliário requer a inscrição e cartão de utilizador da Biblioteca, que implica o preenchimento de uma ficha de dados pessoais e é gratuito, podendo requisitar-se até 5 documentos por um período de 15 dias, o qual pode ser renovado de forma presencial, por correio eletrónico ou telefonicamente, por outro período de mais 15 dias.
As obras assinaladas com uma bola encarnada na lombada não podem ser requisitadas para empréstimo domiciliário, estando apenas disponíveis para consulta presencial.

 

- Empréstimo presencial
Todos documentos estão disponíveis para consulta presencial, salvo situações excecionais, mesmo aqueles que não estão em estantes de livre acesso nas Salas Gente Jovem e de Leitura, bastando requerê-las junto dos funcionários.

 

- Hemeroteca – consulta presencial e empréstimo de publicações periódicas
As publicações periódicas estão disponíveis para consulta presencial na estante própria do átrio (revistas) e nos expositores junto ao Bar (jornais nacionais e regionais).

Só são disponibilizados para empréstimo domiciliário os números anteriores ao último número.

 

- Espaço Internet e Multimédia Infantil e Publico em Geral
A Biblioteca dispõe dois espaços com computadores ligados à internet, um na Sala Gente Jovem, outro na Sala de Leitura, que podem ser requisitados pelos utilizadores de forma gratuita.
Está disponível ainda uma rede de internet de acesso livre através do sistema wi fi.
As impressões são pagas pelos utilizadores conforme Tabela de Taxas e Licenças do Município de Alcanena aprovada em Assembleia Municipal.

 

- Biblioteca/Ludoteca itinerante
A carrinha com Biblioteca/Ludoteca Itinerante faz um trabalho de promoção do livro e da leitura junto das Escolas e Jardins de Infância do Concelho que não possuem Biblioteca Escolar. Está dotada de um fundo documental destinado ao público infantil.
 
- Atividades
- Publico Infantil
Conforme o plano de atividades são disponibilizadas e divulgadas nos sítios e meios próprios as atividades destinadas ao público infantil, onde se incluem atividades destinadas às Escolas e Jardins de Infância do Concelho e sessões organizadas durante o período de férias escolares.

- Público em geral
Conforme o plano de atividades são disponibilizadas e divulgadas nos sítios e meios próprios as atividades destinadas ao público em geral, onde se incluem as mais variadas propostas, desde encontros com escritores, lançamentos e apresentações de livros, exposições temáticas, bibliográficas e informativas, oficinas e workshops, palestras e ações de formação.

 

Catálogo online