• Início
  • Mapa do Site
  • Contactos

Munícipe

Património Natural

 

Miradouros Naturais

 

Miradouros Naturais

 

As características naturais do concelho permitem a existência de miradouros naturais de extraordinária beleza. O Cabeço de Santa Marta constitui um miradouro natural de onde se avista uma extensíssima zona e de onde é possível observar as Lezírias do Tejo. Local aprazível, é hoje servido por um Parque de Merendas ao serviço do visitante.

MOITASMIRADOUROSMARTA

Miradouro do Cabeço de Santa Marta

 

Surpreendentes são também os horizontes possíveis de observar a partir da estrada de ligação de Minde – Serra de Santo António: para norte a Serra, os planaltos, o Polje de Minde (ou Lagoa de Minde), para sul, a planície, visível até ao Tejo, ou à cidade de Santarém. Também aqui o visitante poderá encontrar um Parque de merendas à sua disposição.

 

SERRASTANTÓNIOMIRADOUROJULHO054

Miradouro Serra de Santo António/Minde

Olhos de Água - Nascentes do Rio Alviela

 

Olhos de Água - Nascentes do Rio Alviela

 

Nos limites do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, as Nascentes do Rio Alviela oferecem um espetáculo natural ímpar, que a mão humana soube preservar e valorizar. Os fenómenos naturais que aí se desenrolam, a par das características geomorfológicas que marcam este lugar, tornam-no num aprazível local de veraneio e de visita a todos quantos se deslocam ao nosso concelho.

 

Com uma envolvente paisagística de grande beleza cénica, após um percurso subterrâneo de várias dezenas de quilómetros, nasce o Rio Alviela, no sítio dos Olhos de Água (União de Freguesias de Malhou, Louriceira e Espinheiro). É a mais importante nascente cársica do país, chegando a atingir débitos na ordem dos 30 metros cúbicos por segundo. Os elevados caudais, a qualidade da água e a sua proximidade com a cidade de Lisboa valeram-lhe a tarefa de ser a principal fonte abastecedora da capital desde 1880 até bem próximo da atualidade.

 

NASCENTE DO RIO ALVIELA NASCENTE DO ALVIELA2 CANHÃO CÁRSICO

 

 

 

{slider Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros}
Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros

 

Uma área considerável do concelho de Alcanena (região norte) está integrada no PNSAC. O encontro entre a Serra de Aire e a Serra dos Candeeiros, nesta região, marca o seu relevo pela altitude, conferindo à paisagem características naturais e humanas únicas. Possui também grande diversidade de fauna e flora, que constitui um ponto de interesse para todos os que procuram no turismo rural um contacto pleno com a natureza.

 

Na paisagem sobressai a ausência de cursos de água superficiais (e consequente abundância de correntes subterrâneas) e a presença de algumas lagoas de água doce. O espaço é compartimentado por muros de pedra solta, os quais, juntamente com áreas de olival introduzidas pelo homem e campos agrícolas, constituem a marca humana do Parque Natural. As formações cársicas únicas – grutas, algares, etc., - são o património natural mais característico.

 

A flora e a vegetação do PNSAC refletem as condições ambientais dominantes, mas, sobretudo, a influência da atividade humana. A enorme diversidade florística, que se traduz em mais de 600 espécies de plantas, e a existência de tipos de vegetação (comunidades vegetais) de alto valor científico conferem a esta Área Protegida uma importância relevante em termos nacionais.

 

Com cerca de 200 espécies de vertebrados, o património faunístico do PNSAC espelha, sobretudo as aves, as condições oferecidas pelos principais biótipos aqui presentes. Isto está bem patente, por exemplo, no número de espécies de morcegos cavernícolas (onze) que representam quase metade das restantes espécies de mamíferos do PNSAC, o que levou à sua eleição como símbolo desta área protegida. Salienta-se, ainda, a existência de numerosos anfíbios, representados por treze espécies, número elevado no contexto nacional se se tiver em conta a manifesta secura superficial do território.

 

Mundo de contornos quase “desenhados”, de muros e murinhos, o visitante pode descobrir toda a beleza natural do PNSAC. Citando Almeida Garrett na sua obra Viagens na Minha Terra, “chegámos à porta do sol, sentámo-nos ali a gozar a majestosa vista”. Entre e aprecie!

 

  PORMENORPAISAGEM SERRASTANTONIO LAGONATURAL

 


Polje de Minde

Polje de Minde

 

Vulgarmente conhecida como “Lagoa de Minde”, esta é a mais importante formação do género do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e única em Portugal. Deve a sua formação a um lago que estaria em comunicação com a Bacia Terciária do Tejo e para a qual seriam conduzidas as águas. No Inverno, esta depressão transforma-se num imenso lago alimentado pelas galerias subterrâneas que, a transbordar, a inundam, por vezes durante vários meses. Fenómeno raro, de grande interesse científico, constitui igualmente um fenómeno natural de invulgar beleza.

 

MINDEPOLJEINVERNO 

 

{slider Praia Fluvial dos Olhos de Água}
Praia Fluvial dos Olhos de Água

 

A Praia Fluvial dos Olhos de Água, junto às Nascentes do Rio Alviela é um aprazível espaço de lazer e descontração, requalificado pela Câmara Municipal de Alcanena, de modo a oferecer as condições propícias para que possa usufruir da Natureza no seu melhor.

 

Um verdadeiro “oásis” no seio de um “deserto” de água à superfície, envolvido por uma vegetação tipicamente mediterrânica, que pode apreciar de mais perto mergulhando nas águas tranquilas do Alviela.

 

Este espaço aprazível dispõe das seguintes infraestruturas: zona de atividades aquáticas, parque de merendas, parque infantil, unidades sanitárias e lava-loiças, campo de jogos, restaurante, circuito de manutenção e parque de campismo.

 

Praia Fluvial 3 Praia Fluvial 4 Praia Fluvial 2